sexta-feira, 28 de junho de 2013

Recursos da Web 2.0 e o ensino de Biblioteconomia: contribuições

 Veja trechos do artigo:

ARAÚJO, R.. Recursos da Web 2.0 e suas contribuições na prática pedagógica do ensino de Biblioteconomia. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, América do Norte, 4, jun. 2013. Disponível em: < http://revistas.ffclrp.usp.br/incid/article/view/163> . Acesso em: 28 Jun. 2013.


Web 2. 0

Segundo Primo (2007) a web 2.0 tem repercussões sociais importantes, que potencializam processos de trabalho coletivo, de troca afetiva, de produção e circulação de informações, de construção social de conhecimento apoiada pela informática.

Biblioteca 2.0

De acordo com Maness (2007, p.44), a “Biblioteca 2.0” é definida como “a aplicação de interação, colaboração, e tecnologias multimídia baseadas em web para serviços e coleções de bibliotecas baseados em web”.

Para Abram (2007) a melhor maneira de familiarizar os bibliotecários com a “Biblioteca 2.0” é explorando os recursos da internet e da web 2.0 com foco no aprendizado constante a partir da vivência diária. Para isso o uso dos recursos deve ser incorporado a sua prática (enquanto usuário e profissional da informação) e ao cotidiano na biblioteca.

Para contribuir com a reflexão sobre uma prática pedagógica interativa no curso de biblioteconomia nos moldes dos princípios da web 2.0 de participação e colaboração foi indicado para a turma o uso do microblog Twitter no apoio as atividades da disciplina “BIBL013 - Informática Aplicada à Biblioteconomia” do Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Alagoas. A hashtag sugerida para identificar a disciplina e possibilitar o acompanhamento das discussões ao longo do semestre foi #infobiblio
  
Ao final da disciplina os alunos foram questionados sobre como foi sua experiência na utilização de blogs e redes sociais na internet ao longo do semestre. A maioria (82%) demonstrou sua preferência pelo Twitter destacando (a) algumas de suas vantagens: 
  • “agilidade com que qualquer notícia ou comentário chega para outros usuários (seguidores)” - A18; 
  • “ajuda a desenvolver a capacidade de síntese do usuário e sua interatividade aproxima as pessoas” - A18; 
  • “facilidade da recuperação [da informação] por meio da tag(hashtag)” - A7; 
  • “permite a comunicação e a troca de informação entre os usuários, mesmo quando não somos seguidores” - A19; 
  • “permite disseminar informações e interagir com outros usuários e durante as atividades se tornou uma importante ferramenta, onde foi possível expor minhas opiniões e compartilhar os conteúdos da disciplina” - A16; 
  • “foi o ambiente em que eu só tinha ouvido falar e a interação acabou sendo uma experiência inovadora” - A17; “
  • não tinha noção, não gostava, mas percebi sua agilidade em transmitir informação para várias pessoas ao mesmo tempo” - A5;
  • “eu não utilizava antes por achar que as outras (ferramentas) utilizadas já eram suficientes, e hoje vejo o twitter (e os blogs) como parte de um processo de disseminação do conhecimento” - A8.


Veja o resumo do artigo:
Aborda utilização de recursos da web 2.0 na prática pedagógica no apoio ao processo de ensino e aprendizagem. Relata a experiência desenvolvida durante a realização da disciplina “Informática aplicada à Biblioteconomia II” do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) durante o primeiro semestre do ano de 2011. O objetivo foi analisar a possibilidade de se utilizar recursos da web 2.0 como aportes metodológicos ao ensino da disciplina. Foi criada uma hastag para o acompanhamento e discussão da disciplina no Twitter. Por meio de busca manual no próprio Twitter e uso da Plataforma Topsy monitorou-se 514 mensagens compartilhadas pelos alunos e professor. Analisa a participação e engajamento dos alunos na disciplina por meio: da distribuição das mensagens por mês, dia da semana e horário do dia; da interatividade, verificada a partir dos mentions, replies, e retweets. Como resultado verificou-se uma aprendizagem distributiva e contínua na qual o assunto discutido ultrapassa as limitações espaço-temporal da sala de aula, com envolvimento ativo e exercício da autonomia por parte dos alunos.

Fonte: Pesquisa Mundi